publicado a: 2016-07-07

Cálculo de Volume de Calda

Foto: flickr.com | Author: LandLearn NSW

A aplicação de produtos fitofarmacêuticos é um processo cuja eficiência económica e ambiental depende de vários fatores. Uma vez que a grande maioria dos produtos são aplicados em mistura com água, a quantidade desta (volume de calda) que é utilizada deverá ser conhecida de forma rigorosa.

O primeiro fator a ter em conta é o débito do pulverizador. Este é tanto maior quanto maior o número total de bicos, o débito individual de cada bico e pressão aplicada. A adoção de um sistema de inspeção de material de aplicação é, por isso, altamente recomendada.

Não podemos esquecer que a aplicação é feita por uma máquina em movimento, sendo por isso influenciada pela velocidade. Desta forma o volume de calda aplicado é tanto maior quanto mais lentamente se deslocar o trator e pulverizador. Uma vez que nem todos os tratores têm disponível um velocímetro, deve fazer-se uma medição manual da velocidade, de forma a verificar a informação, nem sempre correta, das tabelas de conversão da rotação do motor e da caixa de velocidades.

No caso culturas altas, deve utilizar-se a distância na entrelinha como equivalente à largura de trabalho. Nas culturas baixas, onde é utilizado normalmente um pulverizador de barra horizontal, deve ser considerado o comprimento deste.

Descarregue a infografia em formato pdf clicando aqui: Cálculo de Volume de Calda


Comentários