publicado a: 2014-07-02

Medidas preventivas na utilização de produtos fitofarmacêuticos


Produtos fitofarmacêuticos são preparações de substâncias activas cuja utilização deve ser cuidada para que não envolva riscos para quem os aplica, para o ambiente e consumidores.

Um produto fitofarmacêutico pode não constituir qualquer risco se o utilizador actuar com cuidado, usando todos os meios de protecção recomendados e seguir as instruções de utilização expressas no rótulo.


Noções de perigo, exposição e risco 

Existe frequentemente confusão entre os conceitos de perigo e risco que interessa esclarecer. O perigo é uma propriedade intrínseca do produto, que não podemos modificar quando o vamos utilizar. A exposição por outro lado, depende exclusivamente do aplicador do produto. O risco é a conjugação destes dois factores.

No caso dos produtos fitofarmacêuticos a indicação da perigosidade de um produto é dada pela sua toxicidade, que é expressa nos rótulos pelos símbolos e precauções toxicológicas.

Toxicidade
Não é influenciada pelo aplicador. 


Símbolos Toxicológicos



Exposição

É influenciada pelo aplicador e depende:
• Da cultura a tratar (densidade, altura, ...);
• Das técnicas de aplicação;
• Do material de aplicação;
• Das condições de aplicação (meteorológicas, orográficas, ...); • Da utilização do equipamento de protecção (EPI ́s) adequado; • Da manutenção e limpeza dos EPI ́s;
• Da duração do tratamento.


Risco = Toxicidade x Exposição

O Risco reflecte a probabilidade de alguém ou algo sofrer danos quando exposto a um perigo. No caso dos produtos fitofarmacêuticos a exposição expressa-se na forma de contacto com os produtos: Dermal, Inalação e Oral e, como já foi referido, é influen- ciada pelo aplicador.

Utilizar os produtos fitofarmacêuticos com segurança é actuar sobre a exposição, evitando o contacto directo com os produtos.


Fonte: ANIPLA

Comentários