publicado a: 2016-06-28

Roubo de laranjas e o intervalo de segurança

De acordo com a RTP Notícias, nos últimos dias têm-se assistido a furtos em pomares de laranjeiras, no Algarve. Vários produtores falam de milhares de Euros de prejuízo no espaço de uma semana. Suspeitam que estas laranjas sejam depois vendidas clandestinamente.

Esta situação levanta mais um problema, o desrespeito pelo intervalo de segurança, o que pode levar ao consumo das laranjas com resíduos acima do recomendado.

Neste contexto relembramos a importância do Intervalo de Segurança.

Os produtos fitofarmacêuticos apresentam, apesar da sua utilidade no controlo de inimigos das culturas, riscos para a saúde do ser humano. Devem por isso ser manuseados pelo aplicador com todo o cuidado, seguindo as indicações representadas pela classe toxicológica.

No que diz respeito ao consumidor dos produtos agrícolas tratados deve ser tido em conta o Limite Máximo de Resíduos (LMR). Esta é a quantidade máxima admissível de substância activa no produto agrícola consumido que não provoca danos na saúde.

Para garantir que no momento da colheita, a quantidade de produto fitofarmacêutico sobre o alimento não ultrapassa o LMR deve ser repeitado o Intervalo de Segurança, ou seja o número mínimo de dias que vai da última aplicação do produto fitofarmacêutico até a colheita.

Este só é válido se forem respeitadas as Boas Práticas Agrícolas, ou seja, as doses dos produtos homologados, bem como o número máximo de aplicações.

O Intervalo de Segurança deve ser respeitado do momento da última aplicação do produto até à colheita, não tendo em conta eventuais períodos de armazenamento pós-colheita.

O Intervalo de Segurança não é uma característica do Produto Fitofarmacêutico. Pode variar em função da cultura à qual este é aplicado.



Descarregue a infografia em formato pdf clicando aqui: Intervalo de Segurança


Comentários

  • Faça login para poder comentar.