publicado a: 2016-10-21

Análise semanal dos mercados - 17 a 21 outubro

17 outubro

A semana terminou com uma recuperação do preço dos cereais nos mercados europeus, sobretudo, devido à desvalorização do euro face ao dólar, que levou a uma maior competitividade dos cereais europeus no mercado internacional.

Parece que todos os elementos de baixa de preços estão esgotados e portanto já tiveram a influência que tiveram na evolução dos preços.

Subida também de preços nos mercados americanos, devido à posição dos fundos de investimento, que estiveram compradores de 16.000 lotes de milho, 6.000 lotes de trigo e 8.000 lotes de soja.

Subida de preços da soja, na sequência do relatório do USDA (Departamento Agrícola dos Estados Unidos), que indicou uma forte procura por parte da China, que voltou aos mercados.

No mercado do Mar Negro de registar a queda de uma forte tempestade na Ucrânia, que provocou um atraso do carregamento dos cereais nos portos. Espera-se esta semana uma melhoria e consequentemente um forte aumento nas exportações.


18 outubro

No mercado europeu registamos a forte demanda internacional de trigo, especialmente nos chamados trigo de qualidade. Os volumes disponíveis são mais baixos este ano na Europa, principalmente devido a incidentes climáticos deste ano.

A colheita de milho em França continua, com uma produção estimada em cerca de 12 milhões de toneladas, o que irá prejudicar os produtores, num contexto de preços mais baixos.

No mercado americano de registar os números elevados de exportação nesta semana, com a soja a apresentar valores de 2,5 milhões de toneladas, quando as expectativas dos operadores situavam-se entre as 1,3 a 1,6 milhões de toneladas. No trigo os números foram decepcionantes, com apenas 450.613 toneladas exportadas esta semana.

Os fundos também permanecem activos, tendo estado compradores de 9.000 lotes de soja, 2.000 lotes de trigo e neutros para o milho.

No mercado do Mar Negro, após uma semana de mau tempo, o retorno do anticiclone sobre a Ucrânia é acompanhado pelo retorno do tempo seco, mas também o retorno de geadas matinais, voltando assim os agricultores de uma forma progressiva às colheitas.


19 outubro

Consolidação dos preços dos cereais nos mercados europeus, sobretudo devido à boa actividade à exportação, para a qual muito contribuiu a baixa cotação do euro.

É muito possível que seja a União Europeia a fornecer as próximas ordens de compra por parte da Argélia e da Arábia Saudita.

No mercado americano ligeira descida dos cereais, motivado pela tomada de mais-valias por parte dos fundos de investimento. Os fundos estiveram vendedores de 5.000 lotes de milho, 6.000 lotes de soja e 2.200 lotes de trigo.

A soja registou uma ligeira descida, depois de ter começado a sessão com ganhos. Mais uma vez a posição dos fundos a tomarem mais-valias foi decisivo para esta evolução.

No mercado do Mar Negro subida do preço do milho, devido a problemas de logística, que levou a alguma escassez do cereal nos portos.


20 outubro

Movimentos bastante incomuns nos mercados europeus, consequência da colheita desastrosa em França, que tem originado vendas de países como a Roménia, a Lituânia e a Bulgária, principalmente em trigo e milho, para a França e Península Ibérica.

No mercado americano de registar o forte desempenho da soja, onde se confirma uma colheita abundante. Este mercado permanece apoiado pela forte procura no cenário internacional, combinada com a retenção das vendas por parte dos agricultores norte-americanos.

Os fundos estiveram compradores de 6.000 lotes de milho, 5.000 lotes de soja e neutros para o trigo.

No mercado do Mar Negro registamos os valores da colheita na Rússia, que até agora já conta com 75,619 milhões de toneladas de grãos recolhidos.


21 outubro

Sessão muito calma nos mercados europeus, que se traduziu numa estabilização de preços.

Bruxelas emitiu, esta semana, certificados à exportação para 209.000 toneladas de trigo e para a importação de 123.000 toneladas de milho.

A baixa de preços registada em Chicago foi compensada pela desvalorização do euro face ao dólar.

Descida de preço dos cereais no mercado americano, motivado pela falta de competitividade de preços à exportação, consequência da valorização do dólar.

Ligeira descida de preços também para a soja, devido a correcções técnicas. Os fundos aproveitaram para realizar mais-valias nesta sessão. Assim, os fundos estiveram vendedores de 10.000 lotes de milho, 2.000 lotes de trigo e 6.000 lotes de soja.

No mercado do Mar Negro de registar uma normalidade no movimento de exportação. Também de realçar o bom avanço das sementeiras de Inverno na Rússia e as autoridades prevêem um aumento da área semeada de 1,5 milhões de hectares.


Fonte: Agroinfo

Comentários

  • Faça login para poder comentar.